Clínica de Acupuntura Dr.Trezza Atendemos crianças com utilização de laser, cristais e colorterapia, sem utilização de agulhas



Rua Catequese 1149- conj 54-Vila Guiomar- Santo André
Rua Mato Grosso 421- B. Santa Terezinha - Santo André
Celular/WhatsApp (11) 96760-2412

drtrezza@drtrezza.com.br

Tratamento de insônia utilizando a técnica da Auriculoterapia Francesa

28/01/2016 13:37

Tratamento de insônia utilizando a técnica da Auriculoterapia Francesa

CAMILA BATISSOCO GARCIA
Trabalho apresentado ao CETN, para obtenção do título de especialista em acupuntura - Campinas 2015.

1- INTRODUÇÃO

Cerca de um terço dos adultos têm insônia em algum período do ano. Além disso, a maior parte não tem às oito horas de sono necessárias para o descanso do corpo, dormindo menos de sete horas por noite (GOMES, 2014).

Segundo Pinto Jr et al. (2010), a insônia continua sendo uma entidade clinica de difícil diagnóstico, exigindo uma abordagem estratégica adequada e planejamento no atendimento clínico.

Esta doença pode acarretar na diminuição da produtividade da pessoa e no comprometimento da qualidade de vida (GOMES, 2014).

A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) possui uma visão bastante peculiar do corpo humano (SILVA FILHO e PRADO, 2007). Maciocia (1996) descreve que na Medicina Chinesa, há um relacionamento entre o corpo e a Mente.

A insônia é reconhecida pela OMS como um problema de saúde pública, devido ao impacto negativo à saúde física e mental, capacidade para o trabalho, atividade social e qualidade de vida dos indivíduos, sendo considerado o transtorno do sono mais frequente na população (ROBAINA et al., 2009).

Ter insônia é apresentar dificuldades repetidas para iniciar e/ou manter o sono (insônia inicial e de manutenção), despertar precoce (insônia terminal) ou sono não restaurador, segundo a Classificação Internacional de Distúrbios do Sono (PASSOS et al., 2007).

A insônia tem sido descrita como um queixa, um sintoma, uma perturbação e / ou uma consequencia de outros problemas clínicos, apresentando um conceito amplo (LOAYZA et al., 2001).

Durante a infância as crianças apresentam grandes variações na quantidade de sono. Nos primeiros dias de vida dormem, em média, 16 horas por dia, decrescendo para 14 horas ao final do primeiro mês e no sexto mês de vida costumam dormir cerca de 12 horas por dia. Depois desta idade o tempo de sono da criança diminui 30 minutos ao ano até os cinco anos (MULLER e GUIMARÃES, 2007).

Na fase adulta ocorre uma diminuição progressiva do sono e mudanças do ciclo do sono em função da idade e de fatores externos, onde ocorrem perdas na duração, manutenção e qualidade de sono. O uso de medicações, a dor muscular e/ou articular, ambiente inadequado (barulho em excesso, local quente, muita claridade, colchão ruim) e condições clínicas diferentes são alguns fatores que afetam a qualidade e a quantidade de sono. Os idosos são mais propensos a terem a qualidade do sono afetada (MULLER e GUIMARÃES, 2007).

Para Maciocia (1996), o termo "insônia" é abrangente a vários e diferentes problemas, como a incapacidade de adormecer com facilidade, acordar durante a noite, sono inquieto, acordar muito cedo e apresentar um sono perturbado pela presença de sonhos.

Segundo Kozasa (2010), a insônia pode ter diferentes sign