Clínica de Acupuntura Dr.Trezza Atendemos crianças com utilização de laser, cristais e colorterapia, sem utilização de agulhas



Rua Catequese 1149- conj 54-Vila Guiomar- Santo André
Rua Mato Grosso 421- B. Santa Terezinha - Santo André
Celular/WhatsApp (11) 96760-2412

drtrezza@drtrezza.com.br

Alterações Mandibulares

23/12/2013 09:55
ALTERAÇÕES DA ARCADA DENTÁRIA
A má postura pode provocar entre outras disfunções, alterações na arcada dentária. Comecei a perceber isso quando em 1996, participei pela primeira vez de uma equipe multidisciplinar para avaliar as condições de saúde dos alunos de 1º e 2º graus de um colégio particular em Cascavel PR e percebi que a maioria das crianças e adolescentes já apresentava má postura. Depois avaliei a postura corporal em mais de 6000 pessoas entre estudantes, funcionários de diversas empresas e participado de alguns projetos sociais no Paraná e no Espírito Santo e, encontrei índices alarmantes, com mais de 90% dessa população apresentando retração dos músculos peitorais e do pescoço, ombros em elevação e projeção anterior e a cabeça projetada anteriormente.
Passei fazer indagações e percebi que os afazeres diários de levar o alimento a boca, por a mão na cabeça, dirigir, digitar, arremessar uma bola, vestir uma camisa, abraçar alguém e até dançar, poderia estar originando diversos problemas de saúde. Refleti ainda mais, essa postura coloca-nos em posição fetal e esta foi importante para nos aconchegarmos no ventre no início da vida, então por que nos traz dificuldades?
Mas, comecei a perceber que uma das conseqüências poderia manifestar-se na arcada dentária quando após um mês de exercícios de alongamento diário com minha esposa que sentia formigamento no corpo e vinha de um período de tensões emocionais, notei algo diferente na forma de seu rosto e arcada dentária. Ela confirmou que seus dentes já não tinham tanta sensibilidade a alimentos gelados ou muito quentes e a gengiva não estava mais ficando avermelhada como de costume. Um amigo ortodontista explicou o que acontecera dizendo que a mudança na face aconteceu devido ao afastamento da arcada na sua parte posterior e por isso os dentes da frente tendo mais espaço, recuaram, deixando a curvatura mais aberta.
Passei então a relacionar postura, face, arcada dentária e tensões emocionais nos pacientes e percebi que a correção da postura corporal promove melhoras estéticas e funcionais.
Além das alterações diretas de desgaste (fraturas nos dentes, dentes que encavalam ou entortam para caber no espaço reduzido, mordida cruzada, dores, bruxismo - ranger os dentes-, estalos, deslocamento e desgaste da ATM - ariticulação têmporo-mandibular -, retração e protrusão da mandíbula, eu considero que a excessiva retração dos nervos pode originar a reabsorção óssea que demanda a necessidade de enxerto ósseo e implante dentário. Para entender a influência das tensões sobre os dentes, preste atenção na hora de passar o fio dental, pois se ele enroscar, significa que os dentes estão mais próximos porque você está mais tenso.
Com os problemas causados pela tensão e fadiga da musculatura da face, a pessoa tende a respirar pela boca e podedesenvolver adenóide (carne esponjosa)ronco e apnéiadores de cabeça, sinusite, rinite, diminuição da capacidade visual, labirintite (tonturas), zumbido no ouvido, problemas na voz, queda de cabelos, assimetrias da face, rugas (marcas de expressão), bigode chinês, elevação da asa do nariz, a papada embaixo do queixo.
Porém, não são simplesmente os movimentos que utilizamos na execução de nossas tarefas diárias que provocam tanto estrago. Também as emoções associadas aos movimentos provocam as alterações da sensibilidade, forma e função em cada parte de nosso corpo.
Basta observar como a postura que remete à posição fetal é adotada pelas pessoas e como elas se movimentam totalmente retraídas nos momentos em que estão passando por problemas emocionais. As tensões do trabalho, no trânsito, nos relacionamentos pessoais. As emoções negativas, como raiva, irritação, mágoa, ansiedade, medo, angústia, dão origem a diversos problemas emocionais comprometendo a auto-estima e diminuindo a produtividade e expectativa de vida da pessoa.
Resolver esses problemas não é uma tarefa fácil, demanda um grande esforço para mudar o comportamento diante das dificuldades, mudar os hábitos para aprender a perdoar, ser mais tolerante e paciente.
Eu também demorei bastante tempo para entender que a pessoa com dor fica irritada e nem sabe o que diz ou faz. Então, é preciso entender que aquela pessoa apenas precisa de ajuda. Precisa aliviar a dor, a mágoa, a raiva, etc. e, só assim, ela também ficará de bem com a vida.
Somente assim, essa pessoa poderá usar seus dentes com a finalidade de mastigar bem os alimentos e não para morder os outros.
 
Audinei Carlos das Neves
Fisioterapeuta CREFITO2 13079F
Vila Velha ES